.

24 ago 2020

Mindset empreendedor: o que você precisa saber

Vai pra baixo

Em tradução livre, a palavra “mindset” significa mentalidade. Usamos o termo “mindset” como referência à configuração da mente, forma de mentalizar as coisas ou jeito de pensar. Sim, o empreendedor possui o pensamento, a mente, diferente em vários aspectos e é por isso que não é fácil ser um.

Podemos comparar nossa mente a um smartphone. Já vem com vários softwares, uns bons e úteis, outros ruins e sem utilidade. O empreendedor treina sua mente para ficar apenas com os softwares úteis, descartando os inúteis e substituindo-os por outros também úteis, otimizando o espaço utilizado nesse HD chamado cérebro.

Nosso mindset é formado por nossas experiências, nossos aprendizados e nossos valores. As informações que você recebe desde a infância vão influenciar suas decisões na fase adulta, decisões essas que serão tomadas de acordo com seu conhecimento e com base nas suas experiências. A tendência é óbvia: decidir de acordo com o que conhecemos, com o que já vimos. O novo é desconhecidamente misterioso.

Meu filho menor, até pouco tempo, só comia um tipo de chocolate, aquele Batom, da Garoto. Como eu sabia que ele gostava daquele, eu só comprava daquele, não dei oportunidade pra ele conhecer outros. A referência que ele tinha de chocolate era o Batom.

Certo dia, cheguei com um kitkat falando que era chocolate. Meu filho, baseado nas suas experiências, obviamente teimou em dizer que não. Afinal, o conhecimento que ele tinha de chocolate limitava-se ao Batom.

Este é um exemplo bobo e simples de como agimos em nossa vida adulta. Claro que não com chocolates, mas com diversos assuntos em nosso universo pessoal e profissional.

E o empreendedor muda essa chave e enxerga algumas coisas com outros olhos, algo do tipo: “okay, eu aceito que Kitkat também é chocolate e vou experimentar pra ver como é.”

A base do mindset: 3 características imprescindíveis

Para empreender não existe um passo a passo, não tem receita de bolo e nem fórmula mágica.

Obviamente que há variáveis que podem influenciar os caminhos de um empreendedor (produto/serviço, região, concorrência, dentre muitas outras), mas, de um modo geral, as questões comportamentais normalmente batem o martelo: sucesso ou fracasso.

São características relacionadas ao comportamento que direcionam empreendedores de qualquer ramo de atividade: alimentício, vendas ou a nossa querida Saúde e Segurança do Trabalho.

Obviamente, conforme dito antes, não existe receita de bolo, mas alguns pontos comportamentais são inerentes a grandes empreendedores. Pontos que são um padrão quando falamos em empreendedorismo e poderíamos citar vários, mas vamos trazer três deles.

Como existem muitas variáveis que influenciam sucesso ou fracasso, deixo claro que não são os três principais, nem os três mais importantes (seria muito fácil colocar um título desse no artigo e atrair cliques), mas não seria condizente com a verdade, portanto, trato como sendo imprescindíveis. Simples assim.

Podem haver outros pontos imprescindíveis? Claro! Por isso não coloco esses como “os únicos”, como “os mais” ou qualquer outro superlativo caça cliques. São imprescindíveis, assim como outros também podem ser, beleza?

Vamos a eles:

1. Planejamento: alguém lembra desse trecho do livro Alice no país das maravilhas?

– “O senhor poderia me dizer, por favor, qual caminho devo tomar para sair daqui?” – perguntou Alice. “Isso depende muito de para onde você quer ir” – respondeu o gato.

– “Não me importo muito para onde” – respondeu Alice.

– “Para quem não sabe onde vai, qualquer caminho serve”.

Quando não há planejamento, a tendência é sempre achar que estamos indo bem, que estamos no caminho certo. Mas caminho certo pra onde? Se não tem planejamento, não vamos saber como fazer pra chegar.

Existem algumas ferramentas (o MODELO CANVAS DE NEGÓCIOS é uma delas) que podem otimizar o planejamento de forma visual, o que é muito importante.

Quando existe a possibilidade de visualizarmos o que precisa ser feito, a tendência de realmente fazer é muito grande. Não basta saber que precisa fazer, é preciso fazer.

Em vias de implantação do PGR, uma ferramenta muito útil é o 5W2H, que pode ser fundamental na hora de elaborar o plano de ações do programa em questão, deixando explícito o planejamento a ser seguido para atingir as metas e objetivos definidos.

2. Desenvolvimento: o mindset do empreendedor não abre espaço para que ele terceirize culpa. Seja no êxito ou nas falhas, a responsabilidade é exclusivamente dele.

Ciente disso e aplicando na prática, ele está sempre buscando cada vez mais aprendizado sobre todas as esferas que cercam seu trabalho e suas atividades.

O empreendedor busca sempre desenvolver novos conhecimentos e aprimorar aqueles que já domina, pois sabe que desta forma aumenta consideravelmente suas possibilidades de sucesso.

Para isso, além de buscar conhecimento técnico específico, ele também busca o chamado “conhecimento generalista”.

Para entender melhor este conceito, dá uma olhadinha neste artigo onde falamos sobre o PROFISSIONAL T e veja também este vídeo.

3. Comprometimento: empreendedores são COMPROMETIDOS com seu negócio, com seus objetivos e com seu propósito.

Comprometimento é algo profundo, é se disponibilizar em todas as etapas. Não estou falando em “se envolver”, é COMPROMETER.

Pensa só: pra você comer ovos mexidos com bacon a galinha se envolveu, mas o porco se comprometeu. Ficou claro? Comprometimento é se doar 100% para fazer dar certo.

Falar sobre mindset de empreendedores é algo fascinante, mas também exige muito mais do que apenas um artigo. Para quem gosta de estudar sobre esse tipo de assunto, sugiro a leitura de alguns livros que contam histórias de pessoas e as empresas que fundaram, pois ao longo da leitura podemos identificar os perfis de cada empreendedor, filtrando o que é bom e que pode ser adequado ao seu negócio.

Vou deixar uns três aqui embaixo e sugiro buscar outros, de acordo com suas áreas de interesse:

  • Steve Jobs. Escrito por Walter Isaacson, é a biografia autorizada do célebre cofundador da Apple e uma das personalidades mais curiosas dos tempos recentes. Uma aula de empreendedorismo, resiliência e pitadas de mau-caratismo também.
  • O clique de 1 bilhão de dólares. Escrito por Filipe Vilicic, conta a meteórica ascensão do Instagram, desde a época que antecede sua criação até sua venda para o Facebook, incluindo informações sobre um dos seus fundadores, que poucos sabem, é brasileiro.
  • A loja de tudo. Escrito por Brad Stone e premiado como “o melhor livro de negócios de 2013” pelo Financial Times, o livro conta a trajetória de Jeff Bezos (hoje* considerado o homem mais rico do mundo) na criação e condução dos bastidores da AMAZON, que hoje* é considerada a empresa mais valiosa do mundo.

São apenas sugestões para quem busca referências sobre empreendedorismo, mas poderia fazer uma extensa lista com muitos outros livros. Esses três eu já li e sempre recomendo.

E aí, já leu algum deles? Deixe seu comentário e sua opinião.

Um grande abraço a todos e até o próximo artigo!

*Quando digo “hoje” me refiro ao ano de 2020, caso esteja lendo este artigo e as coisas tenham mudado, fica aí a explicação.

Autor:

Léo Louza

Léo Louza

Técnico em Segurança do Trabalho, consultor e auditor interno de sistemas de gestão integrada

Quer receber nossas atualizações no seu e-mail?

Não se preocupe, também odiamos spam!

Leia também:

Curso Desvendando Aposentadoria Especial, PPP e LTCAT

Curso on-line

Desvendando Aposentadoria Especial, PPP e LTCAT

Descubra os 7 passos para dominar a elaboração de PPP, LTCAT e caracterização da Aposentadoria Especial

Conheça o curso

Dúvidas sobre a caracterização da Aposentadoria Especial, elaboração de LTCAT e PPP?
Clique no botão abaixo e fique aliviado ↓

 

Eu quero saber mais!

Trabalhe com segurança. Há sempre um abraço esperando você na volta pra casa.

SST Online